logo
header-add
header-add

Prefeito Aracely sanciona lei durante Encontro Estadual de Adoção e Simpósio Municipal

Outubro 24, 2017



Uma oportunidade de capacitação e reflexões acerca da adoção de crianças e adolescentes. Araxá recebeu entre os dias 20 e 22 de outubro, o Simpósio Municipal de Convivência Familiar e Comunitária e o oitavo Encontro Estadual de Adoção de Minas Gerais. O evento reuniu diversos profissionais para rodada de palestras com foco na reintegração familiar e adoção legal. Na cerimônia de abertura, o prefeito Aracely de Paula sancionou a lei que cria a Semana Municipal de Incentivo à Adoção de Crianças e Adolescentes.

Com a nova legislação, de autoria do vereador Raphael Rios, diversos segmentos poderão refletir, comemorar e disseminar os benefícios da adoção por meio de atividades como palestras, campanhas, debates, sensibilização, promoção e mobilização da comunidade. “Fiquei muito feliz com a sensibilidade do prefeito Aracely de Paula em assinar a lei de nossa autoria durante o evento. Tenho certeza que esse trabalho em prol de crianças e adolescentes que precisam de um lar vai trazer ótimos resultados”, destaca o vereador.

Evento

O Simpósio Municipal de Convivência Familiar e Comunitária e o oitavo Encontro Estadual de Adoção de Minas Gerais contou com a realização da Prefeitura, Secretaria Municipal de Ação e Promoção Social e do Aquecendo Vidas – Grupo de Apoio à Adoção e à Convivência Familiar e Comunitária de Araxá, com apoio do Conselho Municipal da Criança e Adolescente (CMDCA) e financiamento do Fundo da Infância e Adolescência (FIA).

Com base na temática “Eu não vou parar de te olhar - o cuidado integral da criança e do adolescente”, o evento contou com palestras realizadas por 18 profissionais dos segmentos jurídico, pedagógico, de psicologia e assistência social. Foram cerca de 500 participantes ao longo dos três dias. As pautas se fundamentaram nos conceitos que contribuem para o sucesso da reintegração familiar, da adoção legal e de projetos que promovem convivência familiar e comunitária saudável às crianças e adolescentes em condições de acolhimento.

De acordo com o prefeito Aracely de Paula, solidariedade e afeto são necessários por parte dos adotantes, para despertar os mesmos sentimentos nos adotados. “Gostaria de dizer que a cidade se sente muito feliz, bastante agradecida, com a realização desse evento. É muito bom participar de um evento que tem moldurada na sua formatação uma frase que ninguém deve esquecer: ”Eu não vou parar de te olhar”.  Olhar é enxergar alma. Na essência da palavra, olhar é caminhar juntos; penetrar para o infinito; não é corrigir, mas ser solidário; ser parceiro; e acreditar”, disse o prefeito durante abertura do evento.

A secretária de Ação e Promoção Social, Lídia Jordão, considerou um diferencial para Araxá a presença de autoridades sobre o assunto adoção. “A presença desses especialistas é uma oportunidade de reflexão sobre os cuidados integrais que devem ser ministrados para a criança e adolescente. Um encontro que norteará as ações já realizadas no município, ações que já desenvolvemos e que pretendemos trabalhar em parceria com o Ministério Público e Grupo de Adoção. O nosso objetivo é que se efetivem essas adoções de uma forma mais ampla, segura e rápida. Pretendemos trabalhar no sentido de que as equipes técnicas que atuam junto às crianças e adolescentes no município se encontrem e discutam mais sobre esses direitos, e tragam para quem se encontra em abrigos adoções legais e seguras”, ressalta.

A promotora Mara Lúcia Silva Dourado destaca que o evento ofereceu capacitação importante para todos atores da rede de atendimento à infância e adolescência, o que resultará em melhor atendimento e conscientização sobre o compromisso de adotar. “É importante repetir que é direito fundamental da criança e adolescente o convívio em família. O evento, ao abordar todos os aspectos da adoção, pretendeu que profissionais, pessoas interessadas em adotar e toda a sociedade entendam que a adoção tem que acontecer de forma legal, segura e para sempre. O evento incentiva as chamadas adoções necessárias, ou seja, a adoção de crianças de maior idade, doentes, com algum tipo de deficiência, grupos de irmãos etc. Todas elas têm direito a uma família”, afirma a promotora.

Grupo de Apoio à Adoção (GAA)

O encontro também atentou para o papel desempenhado pelos Grupos de Apoio à Adoção (GAAs). Em Araxá, o GAA Aquecendo Vidas realiza reuniões na última terça-feira do mês, às 19hs, na sede da ACIA. O espaço reúne voluntários, pessoas que já adotaram, que pretendem adotar ou que, de uma forma ou de outra, tiveram contato com o universo da adoção para a troca de experiências.


Por João Victor