A Prefeitura de Araxá em parceria com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais deu início à capacitação de primeiros socorros destinada aos educadores da rede municipal de ensino infantil. As profissionais estiveram no 5º Pelotão de Bombeiros Militar de Araxá e participaram do curso que tem como objetivo ensinar os profissionais para que consigam lidar com situações inesperadas e que envolvam a vida das crianças dentro das instituições. O conteúdo foi ministrado pelo Cabo Flávio Henrique Ferreira e o Soldado Matheus Alves Silva.

As aulas têm carga horária de 8 horas de treinamento. Inicialmente, serão especializadas as profissionais que atuam nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cemeis) e, posteriormente, para as educadoras do ensino fundamental. O curso faz parte das ações compostas na Lei Lucas (13722/18), que foi sancionada em 04/10/2018 e obriga as escolas públicas e privadas a se prepararem para atendimentos de primeiros socorros. Dessa forma, as educadoras podem se tornar multiplicadoras e responsáveis nas atuações adversas, por meio dessa experiência e dúvidas sanadas durante a capacitação. 

Os instrutores seguem protocolo da Organização Mundial da Saúde para compartilhar conteúdos como avaliação do cenário, mecanismo de lesão, análise de sinais vitais, causas de obstrução e liberação nas vias aéreas, RCP (reanimação cardiopulmonar), uso do DEA e equipamentos semiautomáticos para desfibrilação externa, estado de choque (classificação, prevenção e tratamento) , hemorragias (classificação e tratamento), movimentação, remoção e transporte de vítimas (avaliação e técnicas), ocorrências envolvendo animais peçonhentos, queimaduras (classificação e tratamento) e emergências clínicas.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Zulma Moreira, o compromisso da Administração é com a segurança e educação das crianças. “Temos que agradecer imensamente toda a atenção e prontidão do Corpo de Bombeiros. Isso garante tranquilidade e caso necessário um atendimento emergencial. A equipe das escolas não pode entrar em pânico em situações de urgência com nossas crianças e, sim ter uma ação rápida e segura na prevenção da saúde dos alunos”, destaca.